Rua José Guilger Sobrinho, nº 96 - São Paulo-SP 11 5891-8644 11 98810-2849

Prefeitura de SP monta tenda para atender casos de dengue

Gostou? compartilhe!

Prefeitura de SP monta tenda para atender casos de dengue

Primeira tenda começa a ser montada em UBS da Brasilândia.
Outras ficarão na Freguesia do Ó e no Jaraguá

A Prefeitura de São Paulo montou uma tenda para atender casos de dengue na Unidade Básica de Saúde do Jardim Vista Alegre, na região da Brasilândia, na Zona Norte de São Paulo. A expectativa é a de atender a partir de quarta-feira (1º) de 100 a 200 casos desta região que lidera os casos de dengue na cidade.

A Prefeitura de São Paulo diz ter contabilizado 4.436 casos de dengue nas dez primeiras semanas do ano. De 4 de janeiro a 14 de março, 15.789 casos foram notificados e 4.436 foram confirmados. Cerca de 47,5% dos casos estão concentrados na Zona Norte.

Nas próximas semanas, também serão montadas tendas na AMA/UBS Vila Palmeiras, na Freguesia do Ó, e AMA/UBS Elísio Teixeira Leite, no Jaraguá. As tendas já estavam previstas no Plano de Contingência recomendado e aprovado pelo Ministério da Saúde.

As tendas farão a triagem dos casos suspeitos. O paciente passará por um médico, tomará soro e os remédios para aliviar os sintomas. Além disso, será feita coleta de amostras de sangue para que se confirme a doença.

O número registrado nos primeiros meses de 2015 é três vezes maior do que o registrado em 2014. No mesmo período do ano passado, a cidade teve 4.326 casos notificados e, destes, 1.412 confirmados.

Prefeitura ainda afirma que reforçou o trabalho dos 2.500 agentes de zoonoses em toda cidade, com ações de visitas porta a porta, grupos de orientação e ações de combate nos locais de grande concentração de pessoas. Desde o dia 9, foram realizadas em toda a cidade 22 operações Cata Bagulho, 25 "arrastões", 24 ações de intensificação de distribuição de telas para caixas d'água e dez limpezas de córrego, de acordo com a administração municipal.

Mortes

Os dados foram apresentados na tarde desta quinta-feira (26), pelo secretário-adjunto de Saúde, Paulo Puccini. Segundo a administração municipal, duas pessoas morreram. Um óbito de uma senhora de 84 anos, moradora da Brasilândia, ocorrido no dia 28 de janeiro, foi confirmado e de um garoto de 11 anos, morador do Jardim Ângela, na Zona Sul, ocorrido no dia 9 de março.

O governo estadual rebate os dados e diz que o total já é de três na cidade. O secretário alega que o caso de um homem de 35 anos, que foi internado no Hospital São Lucas, em Diadema, divulgado erroneamente como óbito por dengue pelo Instituto Adolfo Lutz segue em investigação, com apoio do Instituto Médico Legal (IML).

Estado

Na quarta-feira (25), a Secretaria da Saúde de São Paulo anunciou que vai dobrar o número de agentes no combate à dengue de 500 para 1.000 no estado. O anúncio ocorre depois de a doença ter atingido 80.284 mil pessoas e matado 70 neste ano. A secretaria acredita que o estado vai bater o recorde de casos da doença em 2015.

Os novos agentes, que realizam, entre outros serviços, ações de nebulizações, terão contratos de três meses. O secretário da Saúde, David Uip, também informou que 30 médicos militares serão acionados. No total, o governo paulista investirá R$ 6 milhões para execução do plano.

Além da contratação de 500 profissionais, o governo irá comprar 150 equipamentos para aplicação de inseticidas e 450 kits de proteção e segurança dos agentes, compra de sete vans para o deslocamento das equipes e conserto de 50 camionetes usadas no transporte de máquinas e inseticidas.

Segundo dados apresentados na coletiva, cerca de 100 municípios paulistas vivem uma epidemia de dengue e 80% dos criadouros estão dentro de residências, muitas delas fechadas.

Vacina

Nesta terça, o governo já havia informado que iria antecipar os testes da vacina da dengue. A fase de testes estava prevista para 2016, mas a administração estadual vai pedir autorização à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar o teste em 13 mil pessoas. Se os testes forem aprovados, a vacina pode ficar disponível em 2016 ou no máximo até 2017.

A vacina, que começou a ser elaborada pelo Instituto Butantan há dois anos, deu bons resultados em fases anteriores. Os pesquisadores do instituto e da Faculdade de Medicina da USP fizeram a vacina com o vírus da dengue enfraquecido. Ela foi fabricada para combater os quatro tipos de vírus que existem no país em uma única dose.

Na primeira fase, 50 voluntários foram vacinados e, na segunda fase, 130 pessoas. Os cientistas dizem que os resultados são promissores.

Fonte: G1



Gostou? compartilhe!

Certificados

Whatsapp Interprag Whatsapp Interprag